O que é Natal?

 

Natal para mim é momento atípico:

Cores, enfeites, presentes e confraternização.

O pobre dá uma de rico,

O rico dá uma de “bonzão”.

Até àqueles que não se suportam,

Pelos menos nestes dias,

Beijam e se abraçam,

Com sorrisos forçados,

Até parecem irmãos.

 

É comércio agitado. Estacionamentos lotados. Todo mundo apressado.

Festas e bebedeira por todos os lados.

E o cara todo atolado,

Pois mesmo com o salário minguado,

Se curva às imposições do mercado.

E para acabar de complicar,

Ainda existe tal amigo secreto,

Que às vezes é tão “secreto”,

Que em nossa vida nunca esteve perto.

Não é aquele amigo do dia-a-dia,

Que compartilha e faz companhia,

Daquele que afaga, mas também dá carão.

É, muitas vezes, tão oculto,

Que para a gente encontrar o presente,

Roda feito peão e termina o dia maluco.

 

Pouca gente se lembra,

Que Natal é espiritual nascimento.

É renovação da alma e dos sentimentos.

É valorização das coisas singelas,

Mas não por isso, pequenas.

Que o Natal é para acender a verdadeira chama,

Que habita o nosso templo interior.

Que é para cultivar a paz, distribuir o bem,

E semear o amor.

Que Natal é para o cara se olhar no espelho,

E buscar em si mesmo a fonte fecunda e de infinita luz.

Que Natal não é culto às futilidades e à matéria.

É tempo de fortalecer a aliança,

Com o Meigo Rabi da Galiléia – o Mestre e Amigo Jesus!

 

A todos, um Natal verdadeiro que seja reticências nos dias de 2014!

 

Flávio Romero Guimarães

© 2018 Todos os direitos reservados. CEE/PB Núcleo de Tecnologia da Informação.